Scroll Top

Digite seu e-mail e receba conteúdo exclusivo do blog Mente evoluida em seu e-mail

LIVROS

Livro A Tríade do Tempo- Use melhor seu tempo

Se você tem sofrido com a falta de tempo, recomendo que leia esse breve resumo sobre o Livro A Tríade do Tempo de Christian Barbosa

No mundo atual vivemos em uma constante correria estamos sempre com pressa, e muitas vezes acabamos que se sentindo sem tempo para as coisas que realmente gostaríamos de fazer. O Christian também sofria desse problema e com isso resolveu estudar sobre administração do tempo e om o Livro A Tríade do Tempo ajudou milhares de pessoas a melhorarem a forma como gastam seu tão precioso tempo

Lendo Livro A Tríade do Tempo eu percebi que a maior causa do sentimento de estar sem tempo é gastar seu tempo e energia com tarefas que não condizem com seu propósito e objetivo na vida. Além de ter que estudar, trabalhar,se exercitar muitas vezes perdemos nosso tempo com tarefas que poderiam ser evitados com uma simples administração pessoal.

O livro mostra o modelo da Tríade do Christian Barbosa que consiste basicamente em Dividir nossas tarefas diárias,semanais mensais e anuais em três categorias urgentes, importantes e circunstancias e com isso dar ênfase a realização daquilo que realmente é importante para você e para seu propósito na vida, o livro vai lhe ensinar como a administração pessoal, o planejamento e o traçar de metas irão te fazer se sentir com mais tempo. energia e vitalidade lhe dando o prazer de dia a dia após dia dormir sabendo que teve um dia produtivo e que lhe deixou mais perto do seu objetivo

O Livro A Tríade do Tempo é realmente uma leitura valiosa e vale cada segundo gasto com sua leitura, de uma chance ao modelo do Christian e leia o livro tenho certeza que irá transforma sua vida.

Para finalizar deixo uma história contada no livro:

   Havia um homem muito rico que possuía muitos bens. Tinha uma grande fazenda, muitas cabeças de gado e vários empregados a seu serviço. Ele tinha um filho único, um herdeiro natural que, ao contrário do pai, não gostava de trabalho nem de compromissos. O que ele mais gostava era de festas, de estar com os amigos e de ser bajulado por eles. Seu pai sempre o advertia de que aquelas pessoas só estavam ao seu lado porque ele tinha algo a lhes oferecer, e que, quando a situação mudasse, elas o abandonariam.

Os insistentes conselhos do pai o aborreciam e ele logo se afastava sem lhe dar a mínima atenção. Um dia o pai, já idoso, mandou que os empregados construíssem um pequeno celeiro, dentro do qual ele mesmo instalou uma forca. Junto a ela colocou uma placa com os dizeres: “Para você nunca mais desprezar as palavras de seu pai.”

Mais tarde o pai chamou o filho, levou-o até o celeiro e disse: “Meu filho, já estou bem velho e, quando eu partir, você tomará conta de tudo o que é meu, e sei qual será seu futuro. Você vai deixar a fazenda nas mãos dos empregados e gastará todo o dinheiro com seus amigos, venderá os animais e os bens para se sustentar, e, quando não tiver mais nada, seus amigos vão se afastar de você. Então você vai se arrepender amargamente de não ter me dado ouvidos. Por isso construí esta forca, e quero que me prometa que, se acontecer o que eu disse, você fará uso dela.”

O jovem riu, achando um absurdo, mas, para não contrariar o pai, prometeu e pensou que aquilo jamais aconteceria. O tempo passou, o pai morreu e o filho tomou posse de tudo. No entanto, como era previsto, dilapidou o patrimônio, vendeu os bens, perdeu os amigos e a própria dignidade. Desesperado e aflito, começou a refletir sobre a sua vida e viu que havia sido um tolo. Lembrou-se do pai e pôs-se a lamentar:

“Ah, meu pai! Se eu tivesse ouvido os seus conselhos, mas agora é tarde, é tarde demais.”

Pesaroso, o jovem levantou os olhos e de longe avistou o pequeno celeiro, a única coisa que lhe restava. A passos lentos ele se dirigiu até lá e viu a forca, a placa empoeirada e disse:

“Eu nunca segui as palavras do meu pai, não pude alegrá-lo quando estava vivo, mas pelo menos desta vez vou cumprir minha promessa, não me resta mais nada.”

Então subiu nos degraus, colocou a corda no pescoço e ponderou:

“Ah, se eu tivesse uma nova chance…” E pulou. Sentiu por um instante a corda comprimir sua garganta, mas o braço da forca era oco e quebrou-se facilmente.

O rapaz caiu no chão, e sobre ele despencaram joias, esmeraldas, pérolas e diamantes. A forca continha muitas pedras preciosas e um bilhete, que dizia:

“Esta é a sua nova chance. Eu o amo muito. Seu Pai.”

AUTOR DESCONHECIDO

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixar uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.